segunda-feira, 13 de julho de 2015

Interação Social: Competição, Conflito e Cooperação.

Queria entender o ser humano na sua parcialidade uma vez que nunca compreenderei na sua totalidade, diante de suas complexidades, decepções, limitações, reflexões e realizações os indivíduos diversificam sua necessidade em se relacionar. O aperfeiçoamento do relacionamento interpessoal é um movimento constante, em que a força das nossas diversidades  destacam-se conscientemente e inconscientemente.
Consoante o modo dos indivíduos relacionar-se com o mundo e as pessoas são abordados vários aspectos, dentre eles é a competição - a competitividade nos remete as mais  profundas reflexões acerca de indivíduos onde seu comportamento humano é medido força a força  com outros indivíduos, porém, o que ocorre na atualidade é uma distorção relacionada a comportamentos levianos e por vezes frutos de ilicitude, alguns desses atos servem como alerta, e nos revela processo de baixa estima decorrente da insegurança, que o indivíduo é norteado pelos descréditos de si mesmo e de suas potencialidades, focando seu olhar para uma situação em que simplesmente não consegue superar suas próprias limitações e reconhece nos outros a superioridade em diversos aspectos.
De fato, nas relações sociais ao mesmo tempo em que trás uma oportunidade para completitude da satisfação do ser humano, pode desencadear sentimento de disputa e inveja. No âmbito familiar, por  certo é a força motriz de nossas felicidades e, ao mesmo tempo, é na sua ambiência em que vivenciamos as nossas maiores angústias, frustrações, decepções e medos. Observa o psicanalista Jacques Lacan: "Entre todos os grupos humanos, a família desempenha um papel primordial na transmissão da cultura. Se as tradições espirituais, a manutenção dos ritos e dos costumes, a conservação das técnicas e do patrimônio são com ela disputados por outros grupos sociais, a família prevalece na  primeira educação, na repressão dos instintos, na aquisição da língua acertadamente chamada de materna".
O outro aspecto pelo qual a interação social é possível é mediante ao conflito, não havendo resolução pacífica da competição, resta-se as alternativas pertinentes, como a agressão ou a execução do direito. O conflito é atenuado quando existe a pretensão por uma parte e a resistência por outra, onde é evidenciado desafio relativamente complexo,  O conflito é desarmônico, decorrente de expectativas valores e interesses contrariados. Embora seja natural da condição humana, o tratamento conflituoso com outro é mediante a satisfação frustrada, o que configura a outra parte com sendo um ser infiel, adversário e inimigo. O que faz nos perceber a necessidade do indivíduo em comprovar através de concentrar raciocínio e elementos de prova fundamentais para reforçar sua posição unilateral na tentativa de demostrar sua real disputa. Portanto, o conflito é fenômeno inerente as relações humanas, tendo sua origem nas percepções e posições diferentes quanto a ocorrência de fatos e comportamentos que estão envolvidas em torno de interesses, valores e anseios em comum.
Por fim a última maneira é talvez a mais decisiva entres as demais, a cooperação, onde os indivíduos se ajudam para construção de uma sociedade justa, onde se preserva a satisfação do outro mediante a contribuição. Tendo assim uma ação conjunta para uma finalidade em que o objetivo é comum. Ainda que desejos individualizados tentem avantajar-se o desejo que prevalece é o da coletividade visando o desenvolvimento de todos que fazem parte daquele determinado grupo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário